green decorative circuit border connecting cardano AIDa Pool

GLOSSÁRIO SOBRE BLOCKCHAIN

Expressões Básicas do Ecossistema

Criptomoeda : é um novo tipo de ativo que utiliza a tecnologia blockchain. Em meados de 2021, haviam mais de dez mil criptomoedas, mas nem todas são iguais. Algumas tentam ser moedas, algumas são ecossistemas inteiros e outras são meros símbolos desses ecossistemas. Tudo isso é explicado nas seções abaixo.

 

Blockchain: é uma tecnologia de "livro-contábil" distribuído. Ou seja, é um sistema descentralizado para armazenar e transferir valores e informações sem a necessidade de autoridades centrais, mantendo um registro (majoritariamente) completo das transações desde a primeira transação em uma sequência de "blocos" com transações agrupadas (daí o nome, corrente/cadeia de blocos: Blockchain). Bitcoin foi a primeira implementação dessa tecnologia, mas agora existem muitas variações e diferentes implementações dela, com diferentes características, níveis de descentralização e algoritmos de consenso (como Prova de Stake e Prova de Trabalho).

 

Bitcoin : é a primeira criptomoeda de todos os tempos. Foi criado em 2009 por alguém com o apelido de Satoshi Nakamoto como um sistema de pagamento ponto a ponto. Ele gerou uma infinidade de outras criptografias de 1ª geração, como Litecoin e Bitcoin Cash. Continua a ser a maior criptografia até o momento em valor de mercado. Ele tem um limite rígido para quantos bitcoins podem existir, em 21 milhões.

Satoshi : é o primeiro apelido do criador. Mas também é uma denominação da menor fração de Bitcoin que se pode ter. Que é 0,00000001 BTC.

Rede Lightning : é um novo protocolo construído sobre o blockchain do Bitcoin, como uma solução de escalonamento de camada 2 (veja abaixo). Funciona criando canais bidirecionais entre usuários para transações rápidas e econômicas. Seu desenvolvimento começou em 2015, e ainda está em andamento (embora você já possa usá-lo há algum tempo).

 

Ethereum : é a primeira criptomoeda a implementar contratos inteligentes generalizados para a tecnologia blockchain. Atualmente (2021) é a segunda maior criptografia em valor de mercado e tem milhares de tokens em seu ecossistema.

ERC20: é o principal padrão para tokens do Ethereum hoje . Existem outros padrões, como ERC21 e ERC721, mas a grande maioria dos tokens usa ERC20. Para o usuário comum, não é importante, mas o termo pode aparecer de vez em quando em suas pesquisas.

 

Cardano : é uma plataforma blockchain de contratos inteligentes de terceira geração que se concentra em resolver três problemas principais com a indústria hoje: escalabilidade, interoperabilidade e sustentabilidade , de uma forma de pesquisa revisada por pares. Na seção abaixo, apresentarei mais termos específicos de Cardano.

IOHK / IOG: é o nome da empresa que desenvolve a Cardano.

Charles Hoskinson: é o CEO da IOG.

 

Altcoin: é o termo usado para qualquer criptomoeda que não seja o próprio Bitcoin, incluindo todos os seus forks e clones.


Contrato inteligente: é basicamente um contrato digital que pode executar termos automaticamente com base em algoritmos e condições programados nele. Permite, por exemplo, a construção de corretoras descentralizadas, plataformas de empréstimos, sistemas de eleição, sistemas de identidades e muito, muito mais. Qualquer conjunto de ações que tenha termos de execução claros pode ser transformado em um contrato inteligente e evoluir para todo um ecossistema completo.

 

Token: é um tipo de criptomoeda que representa um ativo ou algum uso específico no blockchain. Ele existe dentro de um blockchain específico. Ou seja, há Tokens do Ethereum, Tokens do Cardano, Tokens do NEO, etc. Alguns tokens coexistem em mais de um projeto de blockchain, mas isso é incomum em 2021 para a maioria dos tokens.

 

ICO: significa (do inglês) Oferta Inicial de Moeda. Eles são similares com os IPOs (Ofertas Iniciais Públicas), que servem para levantar capital para desenvolver uma ideia/empresa. ICOs o fazem vendendo tokens, IPOs o fazem vendendo ações.

NFT: significa (do inglês) Tokens Não-Fungíveis. Fungibilidade significa não haver diferença em trocar um bem ou ativo por outro bem ou ativo individual ao mesmo tempo. Como negociar moedas: não há diferença em negociar 50 reais, se você vai receber outros 50 reais de volta. Eles representam o mesmo valor.
Agora, a não-fungibilidade significa que o bem ou ativo é único, como obras de arte ou um ingresso para um assento específico em um show da Anitta (por exemplo). Quando você combina a não-fungibilidade com blockchain e contratos inteligentes, se obtém NFTs. Que é perfeito para expandir o conceito de não fungibilidade para o mundo digital.

 

Mineração: é o processo de resolver um problema matemático difícil para obter o direito de produzir um bloco.

Cada vez que um produz um bloco válido, todos os outros mineradores começam a resolver o próximo problema matemático. Para uma compreensão completa desse mecanismo e seus detalhes sem exigir uma formação matemática, recomendo este vídeo de 3Blue1Brown (ative as legendas em português).

Quanto mais poder computacional um (ou um grupo de nós, chamado pool de mineração) tiver, mais chances ele terá de "descobrir"/gravar um bloco. Por conta disso, existe um incentivo para adquirir grandes quantidades de equipamentos para minerar, o que tem contribuído para a escassez de componentes e um consumo de energia muito grande. Só o Bitcoin numa época consumiu tanta energia quanto o país da Argentina.

 

Taxas de rede: é a taxa que se paga para icentivizar a produção do bloco. Essa taxa é obrigatória na maioria dos blockchains, pelo menos na prática. Em alguns blockchains, como Bitcoin e Ethereum, é possível definir o valor das taxas que deseja pagar para ser colocado mais alto ou mais baixo na lista de transações que tenta realizar. No Cardano, as taxas de transação são fixas (atualmente cerca de ~0,17 ADA por transação), mas são configuráveis ​​por parâmetros de protocolo, e podem ser um pouco mais altas se você quiser enviar mais tokens ou executar contratos em uma única transação.

Expressões Avançadas do Ecossistema

Camada 2: é um termo usado para descrever qualquer protocolo que liquide transações fora do blockchain, mantendo-o rápido, seguro e de preferência com um custo menor. Imagine que o blockchain em si seja uma primeira camada para transações, o que maximiza a transparência e a descentralização. Mas muitas vezes, especialmente com Bitcoin e Ethereum (em meados de 2021), a primeira camada simplesmente não tem capacidade suficiente para suportar todas as transações simultaneamente, levando a altas taxas (5 ~ 40 dólares para cada transação) e transações lentas . Existem diferentes tecnologias sendo desenvolvidas que podem ser chamadas de"solução de escalonamento de Segunda Camada, como o Lightning Network do Bitcoin, o projeto Hydra do Cardano e os Rollups do Ethereum, por exemplo.

Rede de teste: termo usado para descrever um blockchain de teste, geralmente com tokens "testNet" que não possuem nenhum valor. Serve para testar novas atualizações, códigos, contratos inteligentes ou software sem arriscar fundos da vida real.

 

Rede principal: termo usado para o blockchain real sendo usado no dia-a-dia. Quando as atualizações/forks são concluídos aqui, eles estão rolando para valer.

 

Hard Fork: é quando o blockchain se divide/bifurca, nunca mais voltando a se tornar um novamente. Essencialmente criando outro blockchain que compartilha a mesma história do original, mas indo para um caminho completamente diferente (em termos de transações, e às vezes também em termos de regras de software e parâmetros de sistema). Embora, para que ambas as cadeias sobrevivam, elas precisem ser apoiadas por produtores de blocos (geralmente mineradores) e pela comunidade em geral. Normalmente, alguma corrente acaba morrendo - mas às vezes o projeto secundário continua vivo. (por exemplo, Bitcoin Cash, Bitcoin Gold, Ethereum Classic, Banano, Dogecoin, etc etc).

 

Soft Fork: é quando o blockchain passa por uma atualização, mas sem bifurcar num outro blockchain inteiro. É muito mais semelhante a uma atualização de software. Às vezes, as versões mais antigas são compatíveis, mas faltando algumas funcionalidades. Outras vezes, todos os nós são obrigados a se atualizar para continuar transacionando.

 

Nó/Node: é como se chama um software que executa os protocolos de qualquer blockchain. Podem ser nós de produção de blocos (como mineradores e Stake Pools) e nós normais (normalmente carteiras ou oráculos) que apenas verificam se as transações são válidas (mas não tentam produzir nenhuma), mantendo registro do blockchain inteiro.

 

Oráculo: entidade externa que se concentra na coleta de dados do mundo real. Podem ser preços de mercadorias, índices, checagem de fatos, cadeias de suprimentos e muito mais. Desde que possa ser verificado por alguém (com vários graus de descentralização), pode ser colocado em um Oráculo.

 

DAO: é a sigla em inglês para Organização Autônoma Descentralizada. Significa ambos uma organização específica - sobre a qual você pode aprender mais aqui - e um termo mais amplo para definir qualquer organização descentralizada que seja autônoma.

 

DeFi: significa do inglês, Finanças Descentralizadas. É um termo para descrever organizações descentralizadas focadas em soluções financeiras, como tomar e conceder empréstimos, corretoras, ativos tokenizados, ativos de investimento agrupados, etc.

 

Prova de trabalho: é o primeiro algoritmo de consenso de blockchain inventado, também conhecido como PoW (Proof of Work). Ou seja, é como o blockchain seleciona quem vai gravar as transações na rede. Funciona permitindo que qualquer pessoa escreva uma transação, desde que siga algumas regras do blockchain, e também que resolva um problema matemático difícil (todo esse processo é chamado de mineração). Sem essas condições, a transação é inválidada e não aceita por outros nós.

ASICs: é um hardware especializado, otimizado para processar um conjunto de cálculos (neste caso, mineração). Nem todos os blockchains exigem ASICs para minerá-lo. Ethereum, por exemplo, usa mineração de GPU. Alguns blockchains usam mineração de CPU.

 

Prova de Stake: é outro algoritmo de consenso (também conhecido como PoS) semelhante ao PoW, mas em vez de usar o poder computacional para decidir quem vai escrever um bloco a qualquer momento, ele usa o poder de stake. Stake é qualquer quantia de um token que expressa um valor monetário.

 

Há muitas variações nos detalhes de como isso funciona em diferentes protocolos de blockchain de Prova de Stake, mas geralmente é um grupo de pessoas delegando (automática ou manualmente) seus tokens (Stake) para Stak Pools, que são o equivalente dos mineiradores do PoW, e essas pools gravam os blocos. A frequência com que o fazem é diretamente proporcional a quantia de stake delegado à eles.

 

Em outras palavras, ele está abstraindo o conceito de comprar uma montanha de hardwares e gastar energia para minerar uma moeda, para o ato simples de fazer um stake desse valor diretamente. A principal vantagem do PoS sobre o PoW é que ele é muito mais eficiente em termos de consumo de energia (geralmente mais de mil vezes mais eficiente). O que torna possível fazer muito mais coisas, como processar contratos mais complexos ou executar correntes paralelas simultaneamente, etc.

 

Parâmetros de protocolo: é um conjunto de parâmetros que determina as características de um determinado projeto de blockchain. Existem muitos parâmetros que podem ser configurados (por meio de hard forks ou soft forks, com ou sem um aspecto de voto/governança), como tamanho de bloco, taxas de transação, o algoritmo de mineração, regras do blockchain e muito, muito mais.

 
 

Seção Específica sobre Cardano

Cardano: é uma plataforma de contratos inteligentes de terceira geração que se concentra em resolver três problemas principais com a indústria hoje: escalabilidade, interoperabilidade e sustentabilidade . Ele foi feito para ser uma plataforma que outros tokens e sistemas prosperem em um ambiente aberto e descentralizado, com ferramentas de governança, escalabilidade e programação integradas ao próprio protocolo. Cada linha de código do protocolo Cardano foi teorizada primeiro em artigos revisados ​​por pares e depois examinada por programadores e outras empresas para criar padrões de código de alta garantia.

 

ADA: é o nome do primeiro e principal token do Cardano. Ele representa o próprio blockchain e funciona como qualquer outro token. Você pode usá-lo para enviar e receber transações, interagir com contratos inteligentes e também é usado como um dos incentivos para se operar Stake Pools. Um bom paralelo é: ADA está para Cardano, o que ETH está para Ethereum.

Lovelace: é o nome da menor fração do ADA (como Satoshi é a menor fração do Bitcoin). Vale 0,000001 ADA.

 

Stake: é o ato de delegar seu ADA. O delegador faz stake do seu ADA em uma Stake Pool a fim de ganhar recompensas e ajudar a proteger o blockchain por meio da implementação da Prova de Stake do Cardano - Ouroboros .

 

Stake Pool: é uma entidade que aceita delegação para aumentar seu stake. Ela o faz para produzir mais blocos, conforme descrito na seção sobre Ouroboros. A principal tarefa da Stake Pool é proteger a rede e gravar transações no blockchain . Para se diferenciarem entre si, as pools dispõem de algumas ferramentas e métricas a que são impostas, tais como:

sendo Pools com uma missão - significa que escolhem fazer mais do que o mínimo, desenvolvendo apps para a comunidade ou, como nós da AIDa Pool, evangelizando Cardano, criando conteúdo educacional e / ou doando parte dos lucros para uma boa causa.

 

Pledge: É a quantidade de "risco" que uma pool possui. Ou seja, quanto ADA os operadores da pool estão sinalizando como o valor mínimo que eles vão manter delegado na pool. Se eles mantiverem menos ADA como o valor de stake que configuraram, a pool automaticamente para de produzir blocos (prejudicando ambas as recompensas para os Operadores e Delegadores da Pool). Também influencia ligeiramente a quantidade de recompensa que a pool recebe (em comparação com outras pools com pledge menores). Este fator é influenciado por um parâmetro de rede.

 

Desempenho: é uma métrica que vai de 0 a 100% e mede a eficiência do pool na cunhagem de blocos. Se eles produzirem todos os blocos que puderem, o desempenho será de 100%. Cada oportunidade perdida de produzir um bloco diminui essa medida. Quanto mais alto, melhor, pois afeta diretamente as recompensas.

 

Saturação: é um parâmetro determinado por quanto stake existe na pool. Vai de 0% ao infinito. Quanto mais stake uma pool tem, mais saturada ela fica. Se ficar acima de 100%, prejudica as recompensas da pool para os delegadores. Esse parâmetro serve como um limite para o tamanho que uma pool pode chegar, em termos de quantia de stake. A quantidade real de ADA que uma pool pode ter antes de saturar é diretamente correlacionada ao parâmetro K, aprenda mais sobre isso abaixo.

 

Taxas da pool: é quanto ADA é coletado pela pool, antes de distribuir as recompensas aos delegadores. Existem duas partes para isso - um taxa fixa e um taxa marginal.

 

A Taxa Fixa é um valor fixo de ADA, que então vai para a pool. O valor mínimo que uma pool pode definir para a taxa estática é 340 ADA. (Mas pode ser tão alto quanto eles quiserem).

 

A Taxa Marginal é uma % do valor de ADA que vai para a pool, após a aplicação da Taxa Fixa. Pode ser tão baixo quanto 0% e tão alto quanto 100% (assim não deixando recompensas para os delegadores). Geralmente, esse valor varia de 0% a 5% na maioria das pools. Nós, da AIDa Pool, definimos essas duas taxas ao mínimo possível inicialmente, saiba mais sobre nossa estrutura de taxas aqui .

 

Tenha em mente que em um ano, a diferença entre uma taxa marginal de 1% e 3%, se você delegou 10k ADA com a pool, é cerca de 11 ADA de recompensa (515 ADA vs 504 ADA respectivamente).

 

Recompensas: são o incentivo para que os delegadores escolham uma pool que opere com respeitando condições mínimas (ser confiável e ter bom desempenho), e para que as próprias pools funcionem bem. As recompensas são geradas por meio de um modelo de inflação decrescente (semelhante ao do Bitcoin), no qual o novo ADA é adicionado lentamente à economia por meio de recompensas, mas com um limite máximo de 45 bilhões de ADA no total. As taxas da rede que são pagas para fazer uma transação também são adicionadas às recompensas do pool (que é como a rede se financiará quando a inflação deixar de existir). As recompensas são distribuídas e calculadas da seguinte forma:

• Primeiro, há um cálculo de quantos blocos a pool produziu. Quanto mais blocos eles produzem, maiores são as recompensas.

• Daqui, 20% vai para o Tesouro.

• Em seguida, a pool recebe sua parte, descontando primeiro a Taxa Fixa e, em seguida, a Taxa marginal.

• O que resta fica para os próprios delegadores, distribuídos proporcionalmente por quanto stake relativo eles têm na pool. (Portanto, se seu stake representar 10% do tamanho da pool, suas recompensas serão de 10% das recompensas dos delegadores).

• O retorno anual deve ser em média cerca de ~ 5%.

 

Ouroboros: é o nome do algoritmo de consenso de PoS do Cardano. Funciona dividindo o mundo em epochs (que duram 5 dias cada). Então, para cada epoch, ele selecionará aleatoriamente algumas pools para gerenciar a rede durante esses 5 dias (baseado no tamanho de cada pool. Quanto mais stake uma pool tem, mais chances ela tem de ser escolhida para escrever blocos). A responsabilidade das pools durante esse período é proteger a rede, gravar transações no blockchain, calcular recompensas do último epoch e atribuir a lista de pools para o próximo epoch.

Tudo é feito de uma forma em que um grupo não controla totalmente nenhuma parte do processo, nem pode abusar do processo sem ser expulso.

 

Parâmetros de rede: influencia como o blockchain é executado. Será possível votar nesses parâmetros no futuro, quando o Catalyst amadurecer totalmente. Os principais parâmetros a serem lembrados são:

Parâmetro a0: influencia o tamanho da influencia do pledge nos cálculos de recompensa.

 

Parâmetro K: indica quantas pools totalmente saturadas podem haver ao mesmo tempo. O que significa que influencia diretamente o ADA "máximo" que se pode ter delegado a uma pool sem sacrificar as recompensas. Começou em 150, agora está configurado em 500. No futuro, será colocado em 1000, ou seja, haverá pelo menos mil pools produzindo blocos a cada epoch.

 

Taxas da rede: informa quanto ADA é necessário para fazer uma transação no Cardano. Atualmente está definido como ~0,17ADA por transação (mas pode ser um pouco mais alto, se você enviar vários tokens ou executar vários contratos inteligentes em uma única transação, já que na verdade é um preço por byte).

 

Tesouro: é um sistema descentralizado de financiamento do protocolo. O dinheiro armazenado aqui pode ser usado para desenvolver todos os tipos de projetos, votados no Catalyst por quem possui ADA.

 

Catalyst: é o centro de votação do Cardano, financiado pelo Tesouro descentralizado. Atualmente é um aplicativo móvel com conexão ao blockchain, mas no futuro você poderá votar diretamente de sua carteira. Aqui, você pode votar em uma grande quantidade de propostas: mudanças na rede, projetos a serem desenvolvidos ou empreendimentos de marketing, por exemplo. Qualquer coisa pode ser financiada por aqui, desde que seja aprovado pela comunidade.

 

Hydra: é o protocolo de segunda camada do Cardano. Contrastando com a maioria das outras soluções de segunda camada de outros blockchains, Hydra foi pensado desde o início para funcionar da forma mais integrada possível com o protocolo principal. Ainda não foi implementado, mas já existem alguns artigos revisados ​​por pares e testes feitos no desempenho do mundo real. Ele funciona usando as Stake Pools como pontos centrais adicionais para transações mais rápidas e mais baratas, aumentando a taxa de transferência geral da rede cada vez que se acrescenta mais pools nele. Já foi afirmado que cada Stake Pool é capaz de adicionar até 1000 transações por segundo quando o Hydra for implementado.

 

Marlowe: é a linguagem de programação visual do Cardano. Destina-se a pessoas que têm boas ideias para contratos inteligentes, mas não necessariamente possuem habilidades profundas de programação, sem sacrificar os padrões básicos de segurança. Também é bom para construir protótipos.

 

Alonzo: é a próxima atualização do Cardano para contratos inteligentes. Já está acontecendo em fases (com uma rede de teste já em uso), e está programada para ser concluída até o terceiro trimestre deste ano.

 

Seção sobre Carteiras

Carteiras são equipamentos de software e / ou hardware usados ​​para gerenciar suas chaves. Para usar qualquer tecnologia de criptomoeda ou blockchain, você sempre tem duas chaves:

Chave pública: é usada como seu endereço / ID. Ou seja, seu objetivo é identificar a carteira (não necessariamente vinculando-a a uma entidade do mundo real, portanto, a maioria das chaves públicas são pseudo-anônimas - no momento em que alguém vincula a chave pública a uma entidade existente, seja uma pessoa ou uma empresa, ela não é mais anônima).

Chave privada: é basicamente sua senha. Ele permite que você mova fundos da carteira e também permite que você acesse a própria carteira. A maioria das chaves privadas é criptografada de uma forma ou de outra, geralmente em uma sequência de 12 a 25 palavras. Portanto, se alguém souber essa sequência de palavras, terá acesso total à sua carteira.

 

Uma carteira pode existir em 2 formas: fria e quente.

Uma carteira fria é uma carteira que não se conecta à internet, assim não podendo ser comprometida externamente (via malware, por exemplo). Inclui carteiras de papel e carteiras de hardware. E também carteiras de software, mas SOMENTE SE você colocar em um dispositivo que não se conecta à internet (um notebook ou um Raspberry Pi dedicados por exemplo):

• Uma carteira de papel são quando suas chaves privadas (geralmente criptografadas com uma sequência de palavras e / ou com um código QR para facilitar as transações) são impressas ou escritas em um pedaço de papel, metal ou outro material resistente.

• Uma carteira de hardware usa uma peça física de hardware para armazenar e criptografar suas chaves privadas e é o tipo de carteira mais segura.

• Uma carteira fria de software armazena a chave privada em seu dispositivo móvel ou desktop. Lembre-se de mantê-los offline, ou então não será mais uma carteira fria.

 

Carteira quente é quando você usa uma carteira de software em um dispositivo que pode se conectar à internet (e por isso é mais fácil de usar no dia-a-dia). Esta carteira armazena a chave privada em seu dispositivo, que pode ser móvel ou desktop.

 

Há também carteiras de navegador, que podem funcionar como carteiras quentes e frias. Ou seja, algumas carteiras de navegador armazenam suas chaves privadas criptografadas na nuvem ou no seu dispositivo (quente), e algumas carteiras de navegador atuam apenas como uma interface, mas as chaves privadas em si são armazenadas separadamente. Algumas carteiras de navegador oferecem ambas as soluções.

 

Yoroi: é um navegador leve e carteira móvel para Cardano.

Daedalus: é uma carteira de software de nó completo (ou seja, ela armazena todo o blockchain em seu dispositivo), que pode ser usada em conjunto com uma carteira de papel e de hardware. Atualmente, apenas uma versão desktop está disponível. Há também uma versão Flight que se destina a testes iniciais de novos recursos. Eventualmente, todos os recursos são movidos para o software Daedalus principal.

 

Metamask: Provavelmente a carteira Ethereum mais comum. É uma carteira de navegador.

Trezor: é uma marca de dispositivo de carteira de hardware para Cardano e muitos outros cryptos em geral.

Ledger: também é uma marca de dispositivo de carteira de hardware para Cardano e muitos outros criptógrafos em geral.

Seção sobre Corretoras

Corretora: é uma plataforma onde as pessoas podem negociar ativos. As bolsas tradicionais negociam apenas ativos de investimento normais (títulos, ações, ETFs, etc.), mas há alguns que negociam criptomoedas também. Hoje em dia, existe uma infinidade de corretoras especializadas em criptomoedas. Cuidado, porém, nem todas as corretoras são iguais, algumas são mais confiáveis ​​do que outras. Eu recomendo verificar o site do coinmarketcap para verificar a melhor corretora para você.

 

Algumas das corretoras de maior volume que você encontrará lá: Binance, Coinbase, HuobiGlobal, Kucoin, Kraken. Para a moeda Real (BRL), as maiores bolsas são: Binance, Mercado Bitcoin e NovaDAX.

 

CEX: significa (do inglês) Corretora Centralizada. O que significa que é uma bolsa controlada/administrada por uma empresa.

 

DEX: significa (do inglês) Corretora Descentralizada. Ou seja, é uma corretora que usa contratos inteligentes para realizar transações entre usuários. Às vezes tem alguma entidade responsável pela manutenção da corretora, então elas são, na prática, semidescentralizadas.

 

"Não são suas chaves, não são seus criptos": é uma frase comum nesta comunidade. Significa que você deve tomar muito cuidado com suas chaves privadas. Se você não controla suas chaves privadas, você na verdade não controla suas criptomoedas (no caso de a troca ser hackeada ou sua conta da troca ser hackeada). Tente sempre manter a maior parte dos seus criptos em uma carteira, não na corretora.

KYC/AML: significam (do inglês) Conheça Seu Cliente e Anti-Lavagem de Dinheiro respectivamente. Eles são padrões para compliance governamentais para evitar que práticas ilegais do mercado negro tenham contato com corretoras ICOs.